7 de mar de 2011

Sem vocação pra rainha de carnaval, nem pra passista na sapucaí

           Confesso que jamais tinha colocado meu lindos pezinhos n° 36 fora de casa no carnaval.

           Apenas depois de inúmeras insistências daquelas que tenho algo chamado amizade me dei ao disfrute de observar de perto essa data que move os pés coxas e glúteos (pra não falar o resto) do meu país.
 resultado:

           
         Cara, preferia mil vezes ter ficado em casa dormindo com o meu pijaminha de ursinho.

         Não julgo quem gosta do esquema mas tipo, eu moro num fim de mundo interior do interior do Brasil,
não pense que carnaval aqui é como na tv, mulatas sambando de fio dental, e homens lindos maravilhosos passeando por aí, aqui no máximo ví alguns travestis desnudos (não tenho nada contra os travestis, que mostrem o que kizerem, não tenho preconceito) até senti inveja dos cílios postiços de um deles.

         Aqui é exatamente a treva, começando pelo fato que no fim do mundo onde eu moro nem teve nada relacionado ao carnaval.

         Resultado, me despi do meu pijaminha, coloquei algo apropriado para a ocasião e fui à luta.

         Ninguém lembrou de me avisar que não se ia de salto nessas coisas, hoje meus pés falam por sí.

         Chegamos ao tal local eu já estava estranhando todo mundo de Shortinho e tênis mas fiquei na minha.

         Entrando no tal salão com as minhas best friends e minha bolsa a tira colo, minha super bexiga me pediu pra ir ao banheiro o que devo ter feito umas 18 vezes no mínimo.

        Eu  que sou hiper mega fã de um punk rock, música eletrônica, house music e até curto um funk não acredito que deixei meus ouvidos escutarem algo do tipo " se a canoa não virar ôle ôle ôlá, eu chego lá" tipo eu nem sei como se dança isso, confesso que até tentei mas, de uma forma muito desengonçada (risos).


        Inobstante, as tentativas frustradas de socializar em meio as aprendizes de Valéria Valenssa,
        meu surto foi maior a hora que derramaram cerveja no meu cabelo arghhhhhhhhhhhhh!!!!!!!!!!

        Ademais, nem vou falar nos caras de pau querendo me beijar, apenas da minha cara de poucos amigos, ou melhor minha cara era de nenhum amigo mesmo.

        Se eu não estivesse de carona, não fosse longe e se eu não estivesse com as minhas super hiper mega amigas eu juro que viria para casa.

        Me recordo que tentei ser feliz no tal Carnaval, eu pensava comigo "a festa sou eu quem faço", "o que importa é a companhia" até deixei minhas amigas que já estavam parecendo passístas da mangueira e fui comprar algo alcólico pra beber e tentar me "alegrar".

        Porém, o efeito não foi o esperando uma vez que só tinha cerveja no antro e isso procovou em mim várias idas ao banheiro que tinha uma fila enorme, (minha bexiga não responde muito bem a cerveja).

        Bem considerando que eu passei 70% do tempo da festa na fila do banheiro, 20% na fila pra comprar cerveja, os outros 10% que eu passei tentando acompanhar as marchinhas foram frustrantes.

        Respeito muito quem gosta, afinal gosto não se discute e até acho que sou uma exceção, considerando que minhas amigas estavam muito felizes no antro e o nosso país é o país do carnaval.

        Me senti um peixe fora d´agua, como o da foto abaixo, minha cara também parcia a dele, #fato!


       Porém, hoje segunda-feira véspera de feriado não resistirei em colocar o meu querido pijama e dormir!
Desejo a todos um ótimo Carnaval, dancem por mim, beijem por mim, bebam por mim, só não passem a noite toda no banhiro por mim,eu dormirei muito por vcs!

Bjossssss

2 comentários:

  1. Ei linda estou te seguindo segui la tbm
    Beijos de Gaby Siqueira.

    http://diariodegabysiqueira.blogspot.com/

    ResponderExcluir